ESTADO DA ELEIÇÃO – Primárias da Carolina do Sul e 16 disputas na Super-Terça definirão se o líder na corrida democrata enfrentará desafiante único ou campo fragmentado Este é o primeiro de uma série de posts periódicos em que apresentarei um quadro instantâneo da disputa à Presidência nos Estados Unidos.

Depois das prévias no estado de Nevada, sábado passado, e do debate da última terça-feira, o senador Bernie Sanders lidera a corrida pela candidatura pelo Partido Democrata.

As primárias dos próximos dias são decisivas para deteminar se algum outro concorrente despontará como adversário capaz de aglutinar a resistência a Sanders no partido. Dois nomes despontam na tentativa de desafiar a liderança de Sanders.

O primeiro é o ex-vice-presidente Joe Biden, cujo bom desempenho no debate faz dele o favorito a vencer a primária da Carolina do Sul no próximo sábado.

O segundo é o bilionário Michael Bloomberg, que aparecerá pela primeira vez oficialmente nas cédulas nas disputas previstas para a próxima terça-feira, apelidada Super-Terça.

Bloomberg investiu do próprio bolso mais de US$ 400 milhões em propaganda. A Super-Terça reunirá prévias em 14 estados, um território e dará início à votação entre democratas residentes no exterior.

Dos 3.979 delegados que votam no primeiro turno da Convenção Nacional em Milwaukee, em julho, apenas 100 já foram alocados com os resultados de Iowa, New Hampshire e Nevada.

Outros 54 serão eleitos na Carolina do Sul, e nada menos que 1.357 na Super-Terça, ou 34% do total.

Ao todo, 38% dos delegados estarão definidos até terça que vem.

Será praticamente impossível vencer sem ter obtido parcela significativa deles. As principais disputas da Super-Terça se darão na Califórnia (415 delegados), no Texas (228), na Carolina do Norte (110), na Virgínia (99) e no Colorado (67).

As pesquisas têm dado larga vantagem a Sanders na Califórnia, Colorado e em seu próprio estado, Vermont.

Em estados do Sul, onde o eleitorado negro tem maior representatividade, Biden tem mais chances.

É o caso de Alabama, Tennessee e Oklahoma. Bloomberg é a principal ameaça a Sanders no Arkansas.

Tanto em Massachusetts quanto em Minnesota, as senadoras locais – respectivamente Elizabeth Warren e Amy Klobuchar – estão encostadas nele.

São vitórias tão essenciais para que elas permaneçam na corrida quanto a de Biden na Carolina do Sul no próximo sábado. O Partido Democrata atribui delegados proporcionalmente, de acordo com um critério complexo que exige, na maioria dos casos, votação mínima de 15%.

Pela projeção do site FiveThirtyEight, Sanders deverá sair da Super-Terça com 632 delegados; Biden, com 320; Bloomberg, com 211; Warren, com 140; o prefeito Pete Buttigieg, com 95; e Klobuchar, com 45.

A última é a desistência mais provável.

A campanha de Buttigieg informou que ele ainda aposta nas disputas previstas para 10 e 17 de março.

Biden e Bloomberg dificilmente desistirão se a previsão for confirmada.

Warren é uma incógnita. Com os adversários de Sanders fragmentados, ele tende a repetir o desempenho de Donald Trump nas primárias republicanas de 2016.

Mesmo com votação em torno de 25% a 30%, deverá somar delegados em praticamente todas as disputas e chegar à convenção na liderança. A dúvida é se terá a maioria necessária para vencer na primeira votação (1991 delegados) ou se serão necessárias outras, em que votam 771 superdelegados, designados pela posição que ocupam no ou em nome do partido.

Nesse cenário, conhecido como convenção disputada ou negociada, é possível haver um acordo de bastidores para eleger outro nome, provavelmente o segundo colocado, seja Biden, seja Bloomberg. Intenção de voto na disputa democrata segundo o site Real Clear Politics G1 Número de delegados na corrida presidencial democrata G1 Calendário 29/março – primária da Carolina do Sul 3/março (Super-Terça) – primárias no Alabama, Arkansas, Califórnia, Carolina do Norte, Colorado, Maine, Massachussetts, Minnesota, Oklahoma, Tennessee, Texas, Utah, Vermont, VIrgínia; caucus em Samoa Americana; início das primárias para democratas residentes no exterior 10/março – primárias em Dakota do Norte, Idaho, Michigan.

Mississippi, Missouri e Washington 14/março - convenção nas ilhas Marianas 15/março - 11º debate democrata em Phoenix, Arizona 17/março - primárias no Arizona, Flórida, Illinois e Ohio Vale a pena ler Matt Grossmann sobre a dificuldade dos “moderados” para consolidar a oposição a Sanders John Harris e Charlie Mahtesian sobre como Sanders pode perder Masha Gessen sobre o que um esquerdista como Sanders deveria ter dito sobre a ditadura cubana Matt Stevens sobre a complicada escolha do candidato democrata Caroline Fraser sobre como a candidatura de Elizabeth Warren sofreu com o machismo Jill Lepore sobre as ameaças à democracia americana nos anos 1930