Montagem foi feita por uma igreja metodista em Claremont, na Califórnia.

Foto mostra um presépio em que Jesus, Maria e José estão em gaiolas como imigrantes.

Montagem foi feita pela Igreja Metodista Unida de Claremont, na Califórnia. Reprodução/Facebook Karen Clark Ristine Uma igreja metodista em Claremont, a 60 km de Los Angeles, na Califórnia, montou um presépio que mostra Jesus, Maria e José como imigrantes presos em gaiolas.

A pastora líder da igreja, Karen Clark Ristine, publicou uma foto da montagem, inaugurada no último sábado (7), na sua página do Facebook. "Em uma época em nosso país em que famílias refugiadas buscam asilo em nossas fronteiras e, contra a vontade, são separadas, consideramos a família de refugiados mais conhecida do mundo.

Jesus, Maria, e José, a Família Sagrada", escreveu a pastora.

"Pouco depois do nascimento de Jesus, José e Maria foram forçados a fugir com o filho, pequeno, de Nazaré para o Egito, para escapar do rei Herodes, um tirano.

Eles temiam a perseguição e a morte", continuou Ristine, que é líder da Igreja Metodista Unida de Claremont desde julho.

A pastora Karen Clark Ristine, líder da Igreja Metodista Unida de Claremont, na Califórnia. Reprodução/Facebook Karen Clark Ristine "E se essa família procurasse refúgio em nosso país hoje? Imagine que José e Maria se separaram na fronteira e Jesus, que não tinha mais de dois anos, foi tirado de sua mãe e colocado atrás das grades de um centro de detenção da Patrulha de Fronteira, como mais de 5,5 mil crianças foram nos últimos três anos", continuou a pastora. "Jesus cresceu para nos ensinar bondade, misericórdia e boas-vindas a todas as pessoas", disse Ristine.

"No presépio da Igreja Metodista Unida de Claremont, neste Natal, a Sagrada Família substitui as milhares de famílias sem nome separadas em nossas fronteiras". Ristine declarou ao jornal "Los Angeles Times" que a igreja costuma usar a cena do presépio para abordar uma questão social.

A crise dos sem teto que atinge o sul da Califórnia, região onde fica Claremont, já foi mostrada em montagens anteriores, de acordo com ela. A cena mais tradicional, que mostra Jesus, Maria e José reunidos, foi colocada dentro da igreja, que serve uma congregação de 300 pessoas. "Não vemos isso como político; vemos como teológico.

Estou recebendo respostas de pessoas que não conheço...

as pessoas estão me dizendo que [o presépio] as levou às lágrimas", declarou Ristine ao jornal.